Arquivo de março, 2014

arvores_copelA população de Corumbataí do Sul está preocupada com o corte de diversas árvores nas vias públicas do município e em espaços internos de terrenos públicos e privados. “Estamos ficando sem sombra para esconder do sol quente”, teria dito um morador que enviou à reclamação ao blog. Segundo o morador o corte ocorre há alguns meses sem a substituição das árvores arrancadas.

O Jornal do Interior News levantou que o corte faz parte de um projeto para substituição das atuais espécies e envolve a prefeitura e a Copel. Apesar do andamento dos trabalhos de corte, não há ainda movimentação no replantio das novas árvores no perímetro urbano de Corumbataí do Sul.

A prefeitura informou ao blog que já adquiriu as novas espécies que serão substituídas. Serão três tipos de árvores a serem replantadas. A substituição é para sanar o problema ocasionado pelas atuais espécies que vão desde a sujeira à problemas com a rede de energia elétrica.

Foto: Reprodução Google Street View

As equipes de Handebol de Barbosa Ferraz estão fazendo uma boa campanha no Circuito Vale do Ivaí/Norte do Paraná de Handebol Masculino e Feminino. A competição, com jogos em Jandaia do Sul, já está na fase semifinal para o feminino e nas quartas de final para o masculino. Com o desempenho até aqui, as duas equipes barbosenses que tem grandes chances de chegar a final do circuito.

Para se ter uma idéia da pressão nos adversários, a equipe masculina venceu Jardim Alegre por 21 a 8, garantindo a primeira posição do grupo C. A equipe feminina também garantiu a primeira posição do grupo no último jogo contra Apucarana.

A próxima rodada do Circuito de Handebol está prevista para abril. No dia 5, às 14 horas, a equipe feminina enfrenta Jardim Alegre. A vitória garante vaga na fase final da competição. Já os meninos entram em quadra às 17 horas contra Jandaia do Sul, lutando pela vaga na semifinal.

Neste fim de semana os atletas do Handebol tem outra competição agendada. Participam da Copa Internacional de Handebol, em Toledo.

 

 

 

caminhao2O município de Corumbataí do Sul recebeu, na semana passada, um caminhão novinho adquirido com recursos do Governo do Paraná, através da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SEDU) e Programa de Apoio aos Municípios (PAM). O prefeito Carlos Caxão comemorou a aquisição destacando que a renovação da frota de veículos e equipamentos do município esta acontecendo de forma rápida graças as parcerias e influencias no meio político.

dupla

Um motorista que causou um acidente de trânsito ao dirigir sob efeito de álcool, deixando uma pessoa morta e uma ferida, foi condenado nesta quinta-feira, 20 de março, pelo Tribunal do Júri, a oito anos e dois meses de reclusão, em regime inicial fechado. O acidente ocorreu em Jandaia do Sul, em 2004.

De acordo com a promotora de Justiça Fernanda Lacerda Trevisan Silvério, responsável pela acusação, o motorista Sami Anderson Silva voltava de uma festa chamada “paradão de som” quando bateu de frente com a motocicleta em que estavam Claudinei Simião de Aguiar e Leda Maria Fabri Aguiar. Claudinei faleceu no local e Leda ficou gravemente ferida. Ainda segundo o MP-PR, policiais militares que atenderam à ocorrência afirmaram que o motorista apresentava sinais de embriaguez, fato comprovado por teste do bafômetro.

A promotora de Justiça sustentou, durante o Júri, que Sami Anderson Silva agiu com dolo eventual (quando se assume o risco de que um crime ocorra), pois, além de dirigir sob efeito de álcool, ele atingiu a motocicleta na pista contrária, em uma curva em que a ultrapassagem era proibida. Os jurados acataram integralmente a tese acusatória, condenando o réu por homicídio doloso e homicídio doloso tentado.

w-gilson-cassol_1

Foto: Walter Veloso / iTribuna

O prefeito de Barbosa Ferraz, Gilson Cassol (PT), a ex-secretária de Saúde e vice-prefeita, Pedra Costa Guimarães e o sócio-proprietário da empresa E. R. Arpini Miguel ME são alvo de Ação Civil Pública proposta, na última quinta-feira (13)  pelo Ministério Público do Paraná por ato de improbidade administrativa. De acordo com o MP, a empresa foi contratada, sem abertura de processo licitatório, para prestação de serviços de saúde ao município.

A Promotoria de Justiça de Barbosa Ferraz argumenta que a terceirização de serviços poderia ser realizada, em casos excepcionais e com a devida licitação, mas apenas para complementar as atividades já oferecidas pela administração do município, uma vez que é dever do Estado garantir o acesso à saúde pela população. Segundo inquérito civil instaurado pela Promotoria, o prefeito e a ex-secretária da Saúde não procuraram solucionar a questão dos subsídios pagos para os atuais médicos do município e ignoraram a obrigatoriedade do concurso para o cargo de médico, optando pela terceirização de serviços sem abertura de licitação.

A investigação também apontou que o município rescindiu o contrato, devido ao descumprimento por parte da empresa com o que havia sido acordado. Sendo assim, o município de Barbosa Ferraz continua com seus serviços de saúde em situação precária. O MP requer que seja determinada a indisponibilidade de bens dos requeridos na ação, assim como o bloqueio imediato de suas contas e aplicações financeiras.

Blog acompanha o caso desde janeiro de 2013

Leitores antenados deste blog sabem, desde janeiro de 2013, que a contratação da empresa E. R. Arpini Miguel ME, com sede em Maringá, ocorreu para suprir um serviço essencial por 90 dias. Na época a prefeitura divulgou a dispensa de licitação com valor máximo de R$ 140 mil pelos serviços.

O edital chegou a ser retificado pelo menos duas vezes: para corrigir o prazo, de 60 para 90 dias; e também para corrigir o valor do contrato: de R$ 14o mil para R$ 420 mil.

Este blog também trouxe em primeira mão que, apesar do processo de dispensa citar o gasto de R$ 420 mil, a empresa recebeu mais de R$ 440 mil dos cofres públicos ao final dos 90 dias de contrato.

Empresa recebeu mais de R$ 1 milhão da prefeitura em 2013

Após o término do contrato emergencial de 90 dias  a prefeitura de Barbosa Ferraz voltou a contratar com a empresa E. R. Arpini Miguel ME. O município fez novo processo, desta vez por inexibilidade de licitação.

Somados, os dois contratos, a prefeitura chegou a pagar R$ 1.449.441,08 pelos serviços oferecidos pela empresa em 2013, de acordo com os dados do Portal da Transparência. Uma outra empresa foi contratada no último trimestre do ano e recebeu pouco mais de R$ 400 mil para oferecer os serviços na área da saúde, substituindo a empresa citada pelo MP.

COAPROCOR05As terras que abrigam as plantações em Corumbataí do Sul, no Centro-Oeste do Paraná, nunca estiveram tão produtivas como agora. As frutas colhidas pelos pequenos agricultores do município seguem direto para as 2,5 mil escolas estaduais e conveniadas do Paraná. Desde 2012, a pequena cidade – que fica próxima a Campo Mourão e tem 4 mil habitantes – fornece frutas e polpas de frutas orgânicas para a merenda escolar do Estado.

A entrega dos alimentos para as escolas mudou a história dos habitantes e da própria cidade com a criação de novos empregos. A renda dos pequenos agricultores aumentou e eles e conseguiram diversificar a produção, após participarem das chamadas públicas para oferta dos alimentos da agricultora familiar realizadas pela Secretaria de Estado da Educação.

Todos estão organizados na Cooperativa Agroindustrial de Corumbataí do Sul (Coaprocor), que reúne também associados de outros 25 municípios do Paraná. São mil pequenos produtores ligados à cooperativa.

A compra dos alimentos por parte do Governo do Paraná para a merenda escolar permitiu que a cooperativa investisse em tecnologia. Hoje, os pequenos agricultores têm uma agroindústria à disposição. Lá eles observam seus produtos serem transformados para conseguirem um maior valor agregado.

A cooperativa produz cerca de 70 mil quilos de frutas e polpas de frutas por mês. Segundo o presidente da Coaprocor, Gerson Rodrigues da Cruz, a venda dos produtos para a merenda escolar trouxe uma mudança radical na cidade. “Tivemos um avanço de mais de 60% nos preços dos produtos e isso dá mais segurança para os pequenos agricultores. Quando iniciamos a cooperativa, o único produto comercializado era o maracujá. A compra dos produtos pelo Governo do Estado abriu um leque de diversificação para novas culturas”, disse Gerson. (mais…)